EM CASA

Cultura e Qualidade de Vida

BLOG EM CASA

9 out 2014

Férias em Belo Horizonte?

por Brasal Incorporações

Turismo

 

Parece estranho, mas a capital mineira pode se revelar um delicioso destino para uns dias de folga. Principalmente se no roteiro estiver incluído um final de semana para conhecer Inhotim.

Idealizado por Bernardo Paz, o instituto é o maior centro de arte contemporânea a céu aberto do mundo e está localizado em Brumadinho, a 60km de Belo Horizonte. Atualmente, abriga 21 instalações. O minerador bilionário tornou-se um mecenas brasileiro ao construir nos jardins da antiga fazenda do inglês Timothy – o Senhor Tim, que na linguagem mineira acabou virando “Inhô Tim” – pavilhões para artistas brasileiros e estrangeiros exporem o que há de mais moderno e impactante em termos de arquitetura, pintura, escultura, música e instalações.

Visitar Inhotim é indescritível. Nada do que você ler ou ver vai se comparar à emoção de passear pelos belos jardins, assinados pelo genial paisagista Roberto Burle Marx, e seus lagos e galerias com arquitetura ímpar do lugar. Sem contar o mobiliário: cem bancos de tronco de árvore do designer Hugo França (que, entre seus clientes, tem gente como o ator norte-americano Will Smith) espalhados pelos jardins.

TurismoSe a viagem for curta, a opção mais próxima de Inhotim para se hospedar é a cidade de Brumadinho, que fica a nove quilômetros do instituto. Brumadinho nasceu no início do século 20, época em que foi construída uma estação do Ramal do Paraopeba da Estrada de Ferro Central do Brasil. O município foi desbravado por bandeirantes em busca da Terra das Esmeraldas, que nunca foi encontrada, porém a região era rica em minério de ferro, sendo conhecida até hoje como parte do Quadrilátero Ferrífero.

Além do Instituto Inhotim, a cidade possui outros atrativos naturais para o turista que gosta de aventura. O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça oferece esportes como balonismo e voo livre. O Verde Folhas oferece espaço para a prática de arvorismo. Além de relaxar observando paisagens exuberantes, o visitante pode se refrescar em cachoeiras como as da Ostra ou Osta, de Águas Claras, do Areião, da Usina de Piedade e do Paraopeba. Entre seus atrativos culturais, a cidade conta com o Quilombo do Sapé, a Capela Nossa Senhora do Rosário e a de São Benedito e as Igrejas Matrizes de São José e São Sebastião.

Turismo

Fique hospedado em Casa Branca, cidadezinha a 30 quilômetros de Brumadinho. A pequena vila é muito mais charmosa, tem o “Pior Buteco do Mundo” (é este mesmo o nome do bar, que só funciona de dia), pub inglês, com dono inglês de verdade, e feirinha orgânica no final de semana. Uma opção bacana em Casa Branca é a Pousada Vista da Serra. A paisagem da Serra do Rola-Moça é deslumbrante e o ambiente é bastante romântico e aconchegante.

Destaque para a recepção com caldos e sopas na sexta à noite; café da manhã farto, com ovo caipira, canjica feita no fogão a lenha (que fica aceso o tempo todo esquentando os pães de queijo) e coalhada fresca, sem contar o Bolo Impossível, simples e delicioso. No sábado, o jantar está incluído na diária. A pousada tem quatro tipos de acomodação, todas bastante confortáveis: prata, ouro, especial e master – a última, a mais luxuosa, com cama king size, hidro e varanda com vista para a serra.

A cidadezinha também tem outras opções de hospedagem, que podem ser conferidas na internet (casabrancamg.com.br).

Alugue um carro em Belo Horizonte. Dá para rodar até Casa Branca, ir para Inhotim e até procurar algumas cachoeiras na região. Dica dos locais é a Cachoeira da Ostra. Mas atenção: tem um trecho longo, de cerca de uma hora, para ser feito a pé. O ideal é ir com guia local.

Cuidado, mas muito cuidado mesmo, na Serra do Rola-Moça. Ali há trechos com abismo dos dois lados da estrada. A paisagem é incrível. Para se ter uma ideia, à noite dá para ver BH iluminada como se estivesse olhando da janela de um avião, de tão alto!

Reserve dois dias para Inhotim. Apesar de ser possível visitar tudo em um dia, fica muito corrido. O ideal é fazer a parte central em um dia, a pé, e visitar as instalações mais afastadas no segundo dia, usando os carrinhos de transporte que o instituto oferece – o serviço é cobrado (custa R$20/dia).

De tanto andar, Inhotim dá fome. E tem boas opções de restaurante. O mais sofisticado é o bufê do Tamboril, em frente à árvore de mesmo nome. Preste atenção no banco sob a árvore: o tronco tem 500 anos! E na escultura-totem do chinês Zhang Huan, próxima ao restaurante: a cabeça da tartaruga tem a face do artista.

No segundo dia, opte pelo restaurante Oiticica, por quilo e mais em conta, em frente ao lago. A comida é muito boa e a vista espetacular.

TurismoPavilhões e obras imperdíveis: galerias Tunga, Cildo Meireles e Adriana Varejão; obra de Chris Burden, na instalação Beam Drop Inhotim; e Pavilhão Sonic Pavillion, de Doug Aitken, que tem microfones a 200 metros de profundidade que captam os sons da Terra. Veja também Piscina, de Jorge Macchi; e a Galeria True Rouge. Tudo vale ser visto, ouvido e sentido.

Viu tudo? Agende e prepare uma próxima visita para conferir de perto a galeria que será construída para o artista indiano-britânico Anish Kapoor. Ele ficou tão encantado com o lugar que resolveu doar uma obra (Shooting into the Corner) para Inhotim. A galeria deve ser inaugurada até 2014.

Comentários

0

Compartilhar

Sobre Brasal Incorporações

Administrador do site

Comente

Campos obrigatórios*

Posts Relacionados